24
set

Por
Kelly Drumond

Alfabetização

Alfabetização e letramento: conceitos, relações e práticas

Embora muitas vezes entendidos como sinônimos, alfabetização e letramento não são a mesma coisa. Esses dois conceitos trazem especificidades, ainda que existam indicações para que caminhem juntos durante os anos escolares iniciais. 

A recomendação dos especialistas é que, mesmo que sejam duas ações distintas, alfabetizar e letrar devem acontecer de maneira paralela. Mas, afinal, qual a diferença entre os dois conceitos? O que diz a BNCC? Como alfabetizar e letrar na Educação Infantil e no Ensino Fundamental? Neste artigo, confira a resposta para todas essas perguntas. Boa leitura!  

Você também pode gostar:

O que é alfabetização e letramento? 

Os aprendizados da leitura e da escrita são processos precursores do desenvolvimento da capacidade crítica e autônoma de um indivíduo. Desenvolvida nos anos escolares iniciais, alfabetização é, muitas vezes, considerada homogênea ao conceito de letramento. Porém, mesmo sendo percebidos como integrantes de um mesmo processo de aprendizagem, onde se desenvolvem as habilidades de ler e escrever, esses conceitos possuem características especificas.  

Uma criança alfabetizada não é necessariamente uma criança letrada, e vice versa.  As atividades envolvidas em cada uma dessas concepções são distintas. Uma se refere ao processo de codificar e decodificar a escrita e os números; outra diz respeito a organizar discursos, a capacidade de reflexão, interpretação e compreensão de textos. 
 

Quais são as diferenças entre letramento e alfabetização? 

Alfabetização se refere especificamente à aprendizagem e ao domínio do código alfabético. É o processo em que a criança aprende a decodificar os elementos que compõem a escrita. Ou seja, o desenvolvimento de competências quanto à memorização do alfabeto, ao reconhecimento das letras, à ligação entre sílabas e à formação de palavras, utilizando-as na leitura e na escrita.  

letramento, por sua vez, designa a capacidade e a competência que o sujeito adquire a partir de uma função social da leitura e da escrita. Diz respeito a um contexto mais amplo, além da aprendizagem das letras e símbolos escritos, mas referindo-se à compreensão, à interpretação e ao uso da língua nas práticas sociais.   

O entendimento das diferenças significativas e importantes entre esses dois conceitos permite ao educador um estímulo ao desenvolvimento das crianças nas duas frentes do processo de aprendizagem. Dessa forma, embora sejam ações distintas, é recomendado que alfabetizar e letrar aconteçam de maneira paralela, entendendo os conceitos como complementares. Ou seja, a formação ideal considera alfabetizar letrando.

O que a BNCC prevê sobre alfabetização e letramento? 

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) traz diretrizes específicas para a etapa escolar de alfabetização, indicando os dois primeiros anos do Ensino Fundamental como ideais para ações pedagógicas com esse foco. Porém o letramento deve permear todas as fases de aprendizado, sendo introduzido, inclusive, antes do início formal do processo de alfabetização de uma criança. Segundo a BNCC, é indicado que as práticas letradas sejam estimuladas  desde a Educação Infantil, além das considerações a respeito da vida social mais ampla do aluno.  

Tendo em sua essência a articulação da construção de conhecimentos, o desenvolvimento de habilidades e a formação de atitudes e valores, a BNCC tem como diretriz a inserção social e cultural da criança na busca da autonomia e da construção da consciência do indivíduo.  

Nesse contexto, a Base tem indicações claras quanto a necessidade de atividades específicas para pensar o sistema de escrita alfabética para além do uso, mas como objeto de conhecimento. Por isso, há a importância da contextualização do conhecimento escolar junto às práticas sociais da criança. Os campos de atuação e as práticas de linguagem, por exemplo, apontam direcionamentos relacionados ao uso de linguagens situadas e contextualizadas ao universo do estudante.  

Nesse caso, a BNCC indica gêneros textuais mais adequados para os Anos Iniciais do Ensino Fundamentalconsiderando conteúdos do dia a dia, como as listas de compras ou ingredientes, listas de regras da turma, ou bilhetes e convites, por exemplo. 

Dessa maneira, um projeto pedagógico alinhado às diretrizes da Base Nacional Comum Curricular deve considerar a articulação dos dois fatores essenciais: a alfabetização e o letramento. Ou seja, alfabetizar letrando, considerando o ensino da leitura e da escrita no contexto das práticas sociais. 

Práticas Pedagógicas que conciliam alfabetização e letramento

Na prática das salas de aula, é imprescindível desenvolver atividades que promovam tanto a alfabetização quanto o letramento. Isso refere-se à articulação entre as dimensões técnica, social e cultural do aprendizado. Dessa maneira, praticar a alfabetização na perspectiva de letramento diz respeito ao ensino do código alfabético conciliado com o seu uso social em diferentes ocasiões.

Não se trata de criar novos métodos de alfabetizar os alunos, mas pressupõe assegurar oportunidades de uso, reflexão e domínio das propriedades dos textos. Para isso as atividades pedagógicas precisam fazer uma relação entre conteúdo e prática, sempre com o objetivo de melhorar a formação do aluno. Isso permite que a criança se aproprie dos usos, das finalidades e das características de diferentes textos que circulam socialmente.

Um dos pontos primordiais quando tratamos da prática pedagógica para alfabetizar letrando é reconhecer o significado do aprendizado a partir de vivências próprias, assegurando aos alunos tanto a formação cognitiva quanto a compreensão do mundo e do contexto social em que vive. Assim, alfabetizar letrando implica, por exemplo, considerar que os alunos já possuem uma bagagem de conhecimentos prévios. 

Atividades de alfabetização e letramento na Educação Infantil 

Na primeira etapa da Educação Básica, as práticas pedagógicas precisam levar em consideração a consciência fonológica e a promoção do conhecimento das letras de forma sutil e orgânica. 

Antes mesmo do início formal do processo de alfabetização, as crianças inseridas em ambientes letrados se motivam precocemente para ler e escrever. Nessa fase de aprendizado, o letramento pode ser estimulado a partir de atividades, como as relacionadas abaixo.

  • Assegure um excelente ambiente alfabetizador, com um conjunto de situações de usos reais de leitura e escrita; 
  • O alfabeto deve ser apresentado de maneira lúdica e criativa, se possível, acessível ao toque;  
  • Estimule a consciência fonológica, trazendo a atenção para os sons;  
  • Utilize cantigas com rimas ou parlendas para trabalhar o som das sílabas;  
  • Ensine os números a partir de situações de rotina, despertando a curiosidade dos pequenos e construindo a relação entre números e quantidades, por exemplo; 
  • Convide o aluno a explorar todo tipo de material escrito, seja livro, revista ou panfleto.   
  • Estimule reflexões sobre o objeto de estudo, convidando o aluno a mudar diálogos de uma história ou para ouvir e recontar contos, por exemplo. 

Atividades de alfabetização e letramento no Ensino Fundamental 

É ao longo do Ensino Fundamental que ocorrerá a consolidação das aprendizagens anteriores e a ampliação das práticas de linguagem. O esperado é que as crianças ao entrarem no 1º ano do segmento já estejam no estágio silábico com valor sonoro. Ao final dos dois primeiros anos iniciais, a expectativa é que os alunos já tenham dominado o sistema de escrita. Dessa maneira, nessa etapa escolar, os educadores devem realizar atividades que envolvam tanto a aprendizagem das letras e palavras quanto da função social da escrita. E, para que a alfabetização e o letramento ocorram de maneira divertida nessa etapa escolar,  

  • explore a conscientização fônica, ao respeitar o tempo de alfabetização da criança por meio da progressão lógica de aprendizado, utilizando poemas, parlendas, cantigas e trava-línguas;  
  • estimule a produção e a revisão de diferentes tipos de textos, ao diversificar os gêneros textuais trabalhos em sala, considerando conteúdos inseridos no contexto social dos alunos, como listas, receitas e jogos;  
  • utilize cartazes e painéis criativos para apresentar os traçados das letras do alfabeto em seus vários formatos (letras imprensa e cursiva, maiúsculas e minúsculas). Utilize, por exemplo, as sinalizações da escola ou elementos que façam parte do trajeto de ida e volta da criança;  
  • incentive a reflexão e a contribuição dos alunos para as atividades realizadas em sala, como a construção conjunta da lista de livros que serão lidos na semana, por exemplo;  
  • propicie momentos para as crianças relatarem experiências, sentimentos e sensações, estimulando a formação de cidadãos emocionalmente educados e alinhados às competências e habilidades socioemocionais;  
  • organize atividades culturais que contem com o envolvimento da família, englobando as práticas de leitura e escrita que acontecem nos locais em que vivem;   
  • promova a inserção de recursos tecnológicos que façam parte da rotina dos alunos como ferramentas complementares ao processo de alfabetização e letramento. 

Panorama da alfabetização na BNCC

O processo de alfabetização e letramento considera a formação de uma criança tanto no que se refere à decodificação da língua quanto ao uso dessa habilidade para as demandas sociais. Compreender e interpretar um texto, refletir sobre uma história e se expressar de forma clara por meio das palavras são capacidades de indivíduos alfabetizados e letrados. 

Aos educadores, cabe o desafio de ensinar a ler e escrever dentro de um contexto em que a leitura e a escrita tenham sentido e sejam parte integrante da vida do aluno. Essas são algumas premissas da Base Nacional Comum Curricular que precisam nortear a elaboração dos currículos e planejamentos pedagógicos das instituições de ensino de todo país.   

Para facilitar a compreensão das propostas da BNCC para a etapa da alfabetização, elaboramos um e-book que se propõe a navegar pelos meandros da Base, trazendo as diretrizes para essa etapa escolar. Baixe gratuitamente o e-book Alfabetização na BNCC: o guia completo das propostas da Base para os Anos Iniciais do Ensino Fundamental:

 

Compartilhe:

Leia Também:

Deixe seu comentário: