Área logada

11
set

Por
Victor Thadeu

Educação

Educação do século XXI – como preparar os alunos para o sucesso

A educação do século XXI não é similar à do século passado por uma questão principal: as mudanças culturais pelas quais o mundo passou. As transformações alteram a cada dia o lugar do indivíduo no mundo. Essas mudanças refletem fortemente nos processos educacionais, uma vez que o educador com postura séria e a exposição disciplinar são insuficientes para a formação plena dos alunos. 

Hoje, não basta a escola ensinar os conteúdos disciplinares. A instituição educadora deve preparar os alunos para os desafios de um mundo altamente conectado e cada vez mais tecnológico. Dada a problemática, tem-se a pergunta: Como formar cidadãos de sucesso para a contemporaneidade?  

Neste artigo, veja como a escola pode formar cidadãos integrais, solidários e éticos, preparados para confrontar os desafios dos tempos atuais. Compreenda o que caracteriza a educação do século XXI. 

A educação no século XXI 

Movido pelas mudanças ocorridas em todas outras esferas, o propósito da escola foi alterado. De acordo com o pensador e sociólogo francês Edgar Morin, importante nome na Educação: 

O objetivo da educação do conhecimento não é descobrir o segredo do mundo numa palavra mestra, é dialogar com o mistério do mundo.

Sendo assim, o aluno preparado para os desafios do século XXI não é aquele que simplesmente sabe, mas aquele capaz de pesquisar, compreender e expressar seus conhecimentos. Esses são os atributos que nos diferenciam das máquinas: os seres são capazes de desenvolver conhecimentos de forma genuína. Somos também capazes de transmitir nossos saberes aos outros de formas efetivas. 

Além da família, a escola funciona como esse espaço em que há humanos focados no crescimento de outros. Apesar do interesse em atribuir educação ao ensino das diferentes áreas do conhecimento, esse objetivo não basta para o sucesso do aluno. A educação escolar deve contribuir para ensinar a viver e ensinar como se tornar um cidadão consciente e transformador. 

Desenvolver no aluno as noções de responsabilidade e solidariedade, portanto, devem representar o principal valor das instituições de ensino brasileiras. Para que isso ocorra, é necessário que todo o corpo docente e demais envolvidos no processo educativo sejam responsáveis e solidários. 

A educação no século XXI e os desafios do futuro imediato 

As mudanças são acompanhadas de muitos desafios. Se tratando da educação efetiva para a formação do aluno contemporâneo, desenvolver as competências necessárias para a vida em sociedade representa uma grande questão. 

A sociedade atual é marcada por algumas complexidades. A inconstância emotiva, os entraves comunicativos e o despreparo para o mundo do trabalho são as dificuldades atuais. Quando a escola ignora esses problemas comuns, há uma perda da oportunidade de mudar a vida do aluno, e, por consequência, a sociedade. 

A educação brasileira no século XXI, portanto, deve ser focada no preparo emocional dos estudantes. Essa ação pedagógica, além de benefícios sociais, é muito vantajosa para o aluno, que passa a ter sucesso na escola e na vida em conjunto. 

Não existe uma fórmula de sucesso que funcione em qualquer escola. Porém, há uma série de ações que podem contribuir para a boa formação dos alunos. Vejamos como contornar os problemas apontados na escola, formando cidadãos mais desenvolvidos e preparados. 

Lidando com transtornos emocionais na escola 

Antes de tudo, é necessário entender a escola como um local próprio para o desenvolvimento emocional. Dadas as mudanças, ignorar esse papel das instituições educativas representa uma má conscientização de papéis escolares. A justificativa é encontrada na colocação do médico e professor de psiquiatria Geraldo José Ballone, que afirma que 

A escola oferece um ambiente propício para a avaliação emocional das crianças e adolescentes por ser um espaço social relativamente fechado, intermediário entre a família e a sociedade. É na escola onde a performance dos alunos pode ser avaliada e onde eles podem ser comparados estatisticamente com seus pares, com seu grupo etário e social.

Os profissionais da educação  sejam professores, coordenadores ou diretores  são capazes de perceber dificuldades emocionais nos alunos. Porém, para que isso ocorra, é necessária uma mudança de postura. Além da atenção, a sensibilidade para conhecer a melhor maneira de lidar e conversar sobre é fundamental. 

Tratando-se do preparo profissional, o Sistema Maxi de Ensino propõe a implementação de ideias da Pedagogia Afetiva. Nela, as atitudes afetivas são norteadoras para o ensino dos conteúdos escolares. Porém, não é limitado a isso: o contato na escola, seja entre os profissionais, com os alunos e com suas famílias, é movido pelo comportamento dedicado e repleto de estima. 

O resultado disso é um ambiente escolar em que todos os profissionais envolvidos no processo educativo não encaram as dificuldades emocionais como empecilhos para o exercício de sua profissão. Por conviver com pessoas capazes de resolver os distúrbios emotivos, o estudante aprende formas de lidar com as várias emoções e com os diversos tipos de pessoas  o que inclui o respeito as suas individualidades.  

Preparando o aluno para o sucesso profissional 

As mudanças no mercado de trabalho são muito significativas para a educação. As alterações são, inclusive, uma das justificativas para o desenvolvimento das competências socioemocionais propostas pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC). 

Na questão profissional, a cada dia o mercado demanda profissionais criativos, que saibam resolver problemas rapidamente e de forma humanizada. As tarefas puramente mecânicas não são atribuídas aos humanos, uma vez que os avanços tecnológicos proporcionam máquinas eficazes para esse tipo de atividade. Hoje, é valorizado cidadão que possui conhecimentos voltados à liderança, respeito e proatividade. 

A escola, portanto, deve buscar abrir os caminhos para seus estudantes. Sendo assim, proporcionar um ensino puramente cognitivo pode ocasionar dificuldades na adaptação profissional e problemas para prosseguir com os estudos. É preciso valorizar os ensinamentos voltados à gestão, principalmente de pessoas, e propiciar atividades que incentivem a criatividade e a resolução de adversidades. 

autoconhecimento e a autonomia são outros pontos que a escola pode desenvolver. Essas capacidades são muito valorizadas na perspectiva afetiva, proposta no Sistema Maxi de Ensino. Com ele, o professor é inserido em ideias que envolvem a valorização do que é humano, se tornando um profissional muito mais apto para ensinar. Uma constante formação profissional do professor, logo, representa uma ótima característica de escolas formadoras de jovens de sucesso. 

A atualização dos materiais escolares em consonância com a BNCC, portanto, representa um avanço para as instituições de Ensino Básico. Os materiais didáticos do Sistema Maxi de Ensino buscam a qualidade técnica, sendo inteiramente elaborados conforme as competências e habilidades da Base. Assim, há um cuidado com os fundamentos nacionais de ensino e desenvolvimento integral dos estudantes. 

Conclusão 

A escola precisa refletir acerca dos desafios da educação na atualidade. A cada dia, é preciso valorizar o que é humano, preparando crianças e adolescentes para as questões do século XXI. A partir do ensino emocional, é possível formar indivíduos capazes e capacitados, aptos à construção de uma sociedade mais justa e democrática. 

Para proporcionar uma educação humana e significativa, a instituição de ensino deve buscar preparar as estruturas de seu ensino. A qualificação do profissional da educação, o material didático de qualidade e o foco na afetuosidade são formas descomplicadas de preparar o aluno para o sucesso na vida, pessoal e profissional. Logo, a implementação de um sistema de ensino justo e focado na qualidade educativa representa uma forma de valorizar os seres humanos.  

O Sistema Maxi de Ensino busca desenvolver as competências socioemocionais no ambiente escolar. Presentes na BNCC, esse ensino envolve o preparo emocional, fundamental para a vida em conjunto. Baixe o material gratuito e entenda de vez socioemocional. Veja também como ele pode fazer parte da cultura da escola.  

cta-a-hora-e-a-vez-das-competencias-socioemocionais

Compartilhe:

Deixe seu comentário:

Leia Também: